Tipos de Caixas Automáticas

Uma caixa de velocidades é uma "ponte" entre o motor e as rodas motrizes de um veículo.

A caixa tem o papel de transformar o torque e potência da rotação do motor em velocidade nas rodas para o veículo andar para a frente ou para trás.

A versão automática de uma caixa de velocidades muda as engrenagens da caixa com a rotação atingida sem intervenção do condutor.

Hoje em dia temos vários tipos de tipos de transmissão automática:


Transmissão Automática Tradicional
Mais conhecida como conversor de torque automático, este é o tipo padrão de transmissão automática que se encontra na maioria dos carros nos dias dehoje

Ao contrário de uma caixa de velocidades manual, não usa uma embraiagem para mudar as engrenagens.
Em vez disso, é usado um "tambor" de fluido hidráulico chamado de conversor de torque que ligado à
centralina do motor permite um controle preciso do veículo.


Transmisão Semi-Automática (SAT)
Também conhecido como uma caixa de velocidades manual robotizada. Este tipo de transmissão automática é uma caixa de velocidades manual, mas uma o auxílio de equipamentos rebotizados para acionar a embraiagem e a troca de engrenagens com módulos de sensores e forças pneumáticas ou hidráulicas.


Transmissão de Variação Contínua (CVT)
Estas caixas de
velocidades usam correias de polias, em vez de carretos em aço e permitem a troca de velocidades mais suavemente com uma ampla gama de relações aproveitando melhor a rotação do motor em velocidade.

Ainda existe duas variações deste tipo de caixa. A CVT hidrostática utiliza motores hidrostáticos e bombas de deslocamento variável para transferir energia para o motor e as CVT Toroidais usam discos e rolos de potência para a mesma finalidade.

Este tipo de caixa de velocidades permite que o motor funcione com a máxima eficiência com aceleração mai suave. É melhor para a economia de combustível, e é das caixas mais económicas na sua reparação e manutenção. No entanto, o motor cria muito ruído sob aceleração e esforço.


Transmissão de dupla embreagem (DCT)
É uma mistura de transmissão automática e manual e não tem Tambor" de conversor de torque. Usa dois eixos separados para troca de engrenagens, um para número as engrenagens de posição ímpar e outro para engrenagens de posição par. E ambos os eixos têm sua própria embraiagem.

Permite ao condutor mudar para uma engrenagem superior ou inferior muito rápido e a mudança de automático para manual também é perfeita
No entanto, as caixas de velocidades DCT são conhecidas pelas "pinças" barulhentas, barulhos de arranhar e trocas d velocidade bruscas.


DSG (Direct Shift Gearbox)
É muito semelhante à DCT, mas sem os problemas irritantes que a caraterizam. Usa duas pinças em vez de um conversor de torque, e o seu mecanismo funciona por simples desengate de uma embraiagem e engate na outra para mudar as engrenagens. Esta transmissão permite trocas de caixa mais rápida e um arranque mais suave.

As unidades DSG modernas oferecem uma melhor eficiência de combustível do que as caixas manuais.
A DCT é uma transmissão seca que não precisa de mudar o fluido da caixa de velocidades. Deixa as "pinças" secas e só desgasta sua qualidade de fricção.
Quando está gasto o
resultado disso é sentido nas trocas de velocidade mais brutas e uma resposta mais lenta no movimento engrenagem.


Mas existem já no mercado caixas DSG de transmissão húmida que mantém as "pinças" lubrificadas
Aí o resultado da sua performance obriga é uma revisão mais atenta para manter o melhor desempenho do funcionamento da caixa.


Em conclusão: Deve mudar sempre o óleo de qualquer caixa automática consoante a sua utilização (mais ou menos intensa), estar atento à performance da caixa e cuidar para não deixar a caixa trabalhar num óleo envelhecido.

PARA MAIS INFORMAÇÕES E DIAGNÓSTICOS DE FUNCIONAMENTO DA CAIXA AUTOMÁTICA

Contate-nos

Partilhar Esta Página: